Danfe Online – Emissor Gratuito

Fim do Emissor de Danfe Online Gratuito

Fim do emissor gratuito de danfe online

Fim do emissor gratuito de danfe online

A Secretaria do Estado de São Paulo (Sefaz) informou na semana passada que ele vai acabar nota fiscal eletrônica (NF-e danfe online) e Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) de 2017. emissores livres de Janeiro Sefaz SP é seu emissor livre NF – e e ajustar CT-e.Com as empresas graduais para se envolver em sistemas de documentos eletrônicos, o Fisco  descobriu que a maioria dos contribuintes não conseguiu utilizar o emissor gratuito e escolheu suas próprias soluções, incorporados ou personalizados a seus sistemas internos. O emissor gratuito de danfe online foi oferecidos pelo Departamento de Finanças para os contribuintes desde 2006, quando começou o processo de informatização dos documentos fiscais ea sua transmissão através da Internet, a fim de promover a ampla divulgação. Apesar dos investimentos, mostra recente pesquisa realizada pelo departamento financeiro, o total gerado NF-es de empresas que os emitentes que possuem um total de 92,2% votaram. No caso da CT e o número ainda mais elevado: 96,3% dos próprios emissores documentos são gerados. Os contribuintes que tentam executar o download da NF-e e CT e obter informações sobre a cessação do uso de aplicativos gratuitos. A partir de 01 de janeiro de 2017 não será mais possível, o emitente para download. O Ministério das Finanças recomenda que os usuários que já tenham o aplicativo instalado para migrar as suas próprias soluções, antes da introdução das novas regras de validação da NF-e e CT e verificar o seu correto funcionamento.

“A vantagem de uma solução de mercado é que ela integra sistema interno da empresa e permite que você faça todo o processo para qualquer tipo de negócio”, diz Adam Lopes

CEO e fundador da Varitus Brasil, empresa que desenvolve soluções de emissão, gerenciamento e armazenamento de danfe online pela chave de acesso. Segundo ele, a decisão da Sefaz a tendência do mercado e da própria necessidade de simplificar os processos dentro das empresas e para unificar os dados.

“Esta é uma oportunidade para os empresários a melhorar os seus sistemas para atualizar seus processos e tornar seu trabalho mais fácil”, acrescenta.

Embora seja utilizado no Brasil, o programa foi criado e mantido pela Sefaz do Estado de São Paulo, que decidiu sobre a sua atitude. Na prática, o usuário pode continuar a usar os aplicativos até que se trata de uma mudança nas regras da NF-e danfe online. De 2017/01/01 será transferido para a aplicação ou não será um apoio oficial. Nós fortemente o mais rapidamente possível para o risco de outra livre ou pago sugeriu que migram fornecer um sistema de suporte e sem solução de atualização para utilização posterior. Abaixo está a declaração oficial da Sefaz / SP:

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo informa que a partir de janeiro de 2017 os aplicativos gratuitos para emissão da Nota Fiscal Eletrônica ( NF-e ) e do Conhecimento de Transporte Eletrônico ( CT-e ) serão descontinuados.Com a gradual adesão das empresas aos sistemas de documentos eletrônicos, o Fisco Paulista verificou que a maioria dos contribuintes deixou de utilizar o emissor gratuito e optou por soluções próprias, incorporadas ou personalizadas a seus sistemas internos.  No mercado há muitas opções de emissores, alguns deles com uma versão básica gratuita.Os emissores gratuitos são oferecidos pela Secretaria da Fazenda aos contribuintes desde 2006, quando teve início o processo de informatização dos documentos fiscais e sua transmissão via internet com o objetivo de massificação do seu uso. Apesar dos investimentos realizados, recente levantamento da Secretaria da Fazenda aponta que o total de NF-e’s geradas por empresas que optaram por emissores próprios somam 92,2%. No caso do CT-e, o número é ainda maior: 96,3% dos documentos são gerados por emissores próprios.Os contribuintes que tentarem realizar o download dos emissores de NF-e e CT-e receberão a informação sobre a descontinuidade do uso dos aplicativos gratuitos. A partir de 1º de janeiro de 2017 não será mais possível fazer o download dos emissores.A Secretaria da Fazenda recomenda que os usuários que já tenham o aplicativo instalado, façam a migração para soluções próprias antes que a introdução de novas regras de validação da NF-e e do CT-e impeçam o seu correto funcionamento.

Webdanfe – Emissor Gratuito

Devolução do Webdanfe:

webdanfe

webdanfe

A operação de devolução da Nota Fiscal Webdanfe, em conformidade com a legislação, objetiva anular os efeitos da operação de compra. Desse modo, deve-se proceder observando o mesmo tratamento tributário vigente à época da saída da mercadoria do estabelecimento fornecedor, ou seja, a Nota Fiscal de devolução sempre deve ser emitida da mesma forma com que foi a Nota Fiscal de origem.

 A devolução pode proceder de duas maneiras, ou seja:

a) Devolução com nota fiscal emitida pelo destinatário:

Após o recebimento das mercadorias pelo destinatário, compete ao mesmo a emissão de Nota Fiscal Webdanfe de devolução que servirá para acompanhar as mercadorias.Primeiro, devemos colocar a finalidade da emissão da nota como NF-e de DEVOLUÇÃO.

Neste caso, no campo Finalidade da Emissão deverá ser colocado a opção NF-e de Devolução, feito isso aparecerá uma nova aba chamada NOTAS REFERENCIADAS, no qual deverá ser digitado a Chave da NF-e.

b) Devolução com a mesma Nota Fiscal:

Nos casos em que a mercadoria seja devolvida com a mesma Webdanfe da Nota Fiscal, o destinatário das mercadorias deverá informar no verso os motivos que levaram à recusa, datar e assinar.
Dessa maneira o trânsito das mercadorias poderá ser feito através da mesma Nota Fiscal de entrada por ocasião de recebimento da devolução, que servirá para escrituração e crédito no livro Registro de Entradas, mantendo-as em arquivo apartado dos demais documentos fiscais.
Informações para emissão da nota fiscal:
Natureza da operação: Devolução
Código Fiscal:
Quando for mercadoria adquirida para industrialização:
CFOP – 5.201 – Operações no Estado
CFOP – 6.201 – Operações em outros Estados
Quando for mercadoria adquirida para comercialização:
CFOP – 5.202 – Operações no Estado
CFOP – 6.202 – Operações em outros Estados
Quando for mercadoria adquirida para ativo fixo ou consumo próprio:
CFOP – 5.553 e 5.556 – Operações no Estado

CFOP – 6.553 e 6.556 – Operações em outros Estados

Os dados tributários devem ser conferidos diretamente com seu Contador.

 Algumas dicas:

No caso de operação tributada, a devolução dar-se-á com o destaque na mesma proporção da respectiva entrada da mercadoria.

 Na hipótese de operação que tenha ocorrido ao abrigo de isenção, não-incidência ou diferimento do pagamento do ICMS, a devolução ocorrera nas mesmas condições. Idêntico tratamento será adotado em relação à alteração de alíquota.

A mercadoria devolvida deve ser necessariamente a mesma.

Não sou industrial ou sou do SIMPLES e a nota fiscal de venda possuía IPI. Como fazer?

Se o estabelecimento que estiver devolvendo não for contribuinte do IPI e tiver adquirido a mercadoria de uma indústria ou importadora com destaque do IPI na Nota Fiscal de Compras, devera indicar na Webdanfe Nota Fiscal de Devolução, o valor do imposto em “DADOS ADICIONAIS” e agregrar o valor do IPI no preço unitário e total da nota fiscal. Não poderá em nenhuma hipótese destacar o valor do IPI em campo próprio.

Esta informação foi obtida de uma fonte de terceiros e não possui teor fiscal ou legal, visando somente direcionar o cliente à uma solução concreta, que deve ser obtida junto ao contador da Empresa, até mesmo devido à variações legislativas de cada Unidade Federativa. Não nos responsabilizamos pelo seu conteúdo e pelas ações tomadas com base nele.
Fonte: http://suporte.tagplus.com.br/knowledgebase/articles/368783